10 resoluções de ano novo para ter mais dinheiro

Publicado 21 Dezembro 2017

Susana Albuquerque, especialista em gestão financeira pessoal, dá-lhe 10 conselhos para um novo ano financeiramente mais folgado.


Ter uma vida mais folgada financeiramente é uma das resoluções mais comuns no início de um novo ano. A parte má (e possivelmente a única) deste desejo é que, na esmagadora maioria das vezes, não passa disso mesmo. No que toca ao aumento do rendimento disponível, não basta esperar por um aumento, pela lotaria ou simplesmente por um emprego melhor. Grande parte desta resolução só é concretizável caso haja um esforço real de quem a faz.


Para tornar esta ambição uma realidade, o Dinheiro Vivo falou com Susana Albuquerque, Coordenadora de Educação Financeira da Associação de Instituições de Crédito Especializado (ASFAC) e especialista no tema da gestão financeira pessoal. Veja na galeria de imagens no início do texto as 10 dicas para garantir que chegará ao final de 2018 com mais dinheiro na conta ou no bolso.


1. Seguir o seu dinheiro "Seguir o dinheiro é essencial para ganhar controlo sobre a minha situação financeira! Para isso vou reunir todos os extractos do banco, de cartões de crédito, de empréstimos e tomar nota de todas as minhas despesas mensais. Este exercício de controlo é a base para o que se segue".


2. Fazer plano de gastos mensal e anual "No início do ano faço logo o meu plano de gastos anual que tem como objetivo assegurar que controlo todas as despesas sazonais ou periódicas, dividindo-as por vários meses. Planear vai permitir-me evitar meses de aperto quando aparece o seguro da casa, do carro ou a ida para a escola dos miúdos. Todos os meses faço e revejo o meu plano de gastos mensal que é essencial para controlar as entradas e saídas de dinheiro e perceber onde posso reduzir despesas, caso esteja a gastar demais ou caso o meu rendimento tenha diminuído, de que forma posso aumentar as receitas". 


3. Definir objetivos financeiros "Em conjunto com toda a família, definimos os objetivos financeiros de longo, médio e curto prazo. Quando se está motivado para alcançar um determinado fim a alteração de hábitos e comportamentos é extremamente facilitada, uma vez que ficamos despertos para oportunidades que possam surgir ou que possamos criar para esse efeito".


4. Viver abaixo dos rendimentos "Não vou gastar mais do que ganho, nem gastar tudo o que ganho. O segredo está em deixar de lado uma parte dos rendimentos para eventuais necessidades (ver a seguir)".


5. Poupar todos os meses "Considero a poupança como uma despesa positiva que me permitirá fazer face a imprevistos, evitando situações de aperto financeiro. No início de cada mês coloco de parte uma percentagem do meu rendimento ou um montante fixo, tal como se de uma conta se tratasse, para isso dou uma ordem de transferência ao meu Banco para que o dinheiro saia automaticamente da conta à ordem para uma conta-poupança".


6. Ser proativamente criativo "Se quando fizer a análise da sua situação financeira notar a necessidade ou desejo de aumentar os seus rendimentos, saiba que a melhor forma de ganhar (mais) dinheiro é fazendo o que gosta, por isso: concentre-se no que gosta e no que sabe fazer e aproveite os seus talentos, naturais ou desenvolvidos, para criar atividades ou produtos que lhe permitam ganhar um dinheiro extra! E não acredite se lhe disserem que há mais pessoas a fazerem o que gosta, lembre-se que é único e logo o que criar também será único".


7. Partilhar, trocar, doar ou vender "Começo o ano registando quantas coisas tenho em casa que já não uso ou que posso emprestar e comprometo-me a partilhar, trocar ou doar entre amigos e nas redes sociais aquilo que faz falta aos outros e a mim".

8. Renegociar para poupar "No primeiro mês do ano, analise todos os meus contratos, desde os seguros, aos créditos, passando pelas telecomunicações e renegoceio melhores condições, depois de analisar o mercado, comprara preços e escolher o melhor para as minhas necessidades. Invisto algum tempo, para poupar mais dinheiro".

9. Investir "Por pouco que seja o dinheiro que tenho amealhado, vale a perceber, mesmo com os juros tão baixos de que forma posso investir, rentabilizar mais as minhas poupanças. Para isso consulto o meu banco e pelo menos mais dois outros bancos, sabendo que nunca devo subscrever um produto que não entendo na totalidade e que não devo aplicar mais do que 10% das minhas poupanças em produtos com risco de perda de capital".

10. Aprender "Desenvolvo competências para poupar e/ou ganhar dinheiro. Existem vários workshops e formações gratuitas quer esteja empregado ou desempregado e a maioria da informação está disponível na internet, ou em livros. Quer seja aprendar a criar ou desenvolver o meu próprio negócio, a cozinhar, a arranjar a minha roupa, etc, aprender novas competências, vai permitir valorizar quem sou e como faço".



Ver Notícia Original: "Dinheiro Vivo"